Encontro de Dança Contemporânea terá três espetáculos e uma oficina

Da Carne ao Corte_Nilmar Lage (75)

O Enaterci 2016 – Encontro de Dança Contemporânea de Ipatinga – começa na próxima quarta-feira (6) e vai até sexta (8), com muitas atrações e uma oficina. Essa é a 13ª edição do Enaterci, encontro idealizado e realizado pelo Grupo Hibridus. O evento tem patrocínio da Usiminas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

No primeiro dia, o espetáculo “Homem Torto”, de Eduardo Fukushima (SP), será apresentado no teatro do Centro Cultural Usiminas, às 20h. No mesmo dia, a artista belga Dorothé Depeauw, radicada em Belo Horizonte, ministra a oficina “Quanto mais você olhar para a mesma coisa mais o significado vai embora”, no Espaço Hibridus.

No dia 7u (quinta-feira), a artista apresenta o espetáculo com o mesmo nome da oficina, em duas sessões, no Teatro Zélia Olguin, sendo que uma delas será exclusiva para escolas.

No dia 8 (sexta-feira), o público vai poder conferir a co-produção do Hibridus com Chaim Gebber, em Berlim, realizada em novembro de 2015, e que possibilitou a criação do novo trabalho do grupo, “Da Carne ao Corte”.

Ao longo desses anos, o evento reuniu profissionais de diversas áreas, artistas, pesquisadores, doutores, educadores, projetos, universidades que desenvolvem ideias e procedimentos contemporâneos para a dança, corpo, pensamento, comunidade, coletividade, desenvolvimento sustentável, ensino, tecnologia entre outras, para debater questões universais, sistematizar estratégias de ação e de desenvolvimento junto à comunidade.

PROGRAMAÇÃO:
– Oficina de Dança
Quanto mais você olhar para a mesma coisa mais o significado vai embora
Dorothé Depeauw – Bélgica / BH
Quarta-feira (6) – 14h – Espaço Hibridus/Centro
Classificação: Livre – Duração 3h – Idade: a partir de 14 anos
Entrada franca, mediante inscrição. Informações 3821-3513.

A oficina vai trabalhar ferramentas coreográficas usadas pela ministrante na obra “Quanto mais você olhar para a mesa coisa mais o significado vai embora”. Começa com vivências corporais e espaciais para agilizar a consciência de espaço em relação aos outros, dinâmicas temporais, técnica de memória e escolhas na improvisação e composição.

– Homem Torto
Eduardo Fukushima/SP
Quarta-feira (6) – 20h – Teatro do Centro Cultural Usiminas
Classificação: Livre – Duração: 40 min. – Lotação: 100 pessoas
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada para estudantes, professores, menores de 18 anos, maiores de 60 anos). Vendas: Bilheteria do Centro Cultural Usiminas e site: www.ingressorapido.com.br.

Homem Torto é uma dança não simétrica que sugere um corpo frágil, mas com o vigor dos fortes. Une opostos como a dureza e a leveza, a fragilidade e a força, o estar perto e longe do público, o equilíbrio e o desequilíbrio, movimentos fluidos e cortados, o dentro e o fora do corpo. Homem Torto foi criado durante um ano de residência em Taiwan, sob orientação do diretor da Cloud Gate Dance Theatre, Lin Hwai Min, através do prêmio Rolex Mentor & Protégé Arts Initiative.

– Quanto mais você olhar para a mesma coisa mais o significado vai embora
Dorothé Depeauw – Bélgica / BH
Quinta-feira (7) – 20h – Teatro Zélia Olguin
Classificação: Livre – Duração: 35 min.
Lotação: 204 pessoas – Entrada franca – Informações: 3821 3513.
Haverá uma sessão às 16h destinada às escolas, mediante agendamento.

“Quanto mais você olhar para a mesma coisa mais o significado vai embora” é um espetáculo íntimo com forte proximidade do público, que também goza de grande liberdade. De dar sentido ou não, de agir/não agir quebrando a usual distância entre artista e público nas artes cênicas. Não somente a distância física, mas a continuamente instituída onde o artista proclama e ensina e o público recebe. Aqui não se ensina nada.

Da Carne ao Corte
Hibridus Dança/Ipatinga
Sexta-feira (8) – 20h – Teatro Zélia Olguin
Classificação: Livre – Duração: 40 min. Lotação: 204 pessoas
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada para estudantes, professores, menores de 18 anos, maiores de 60 anos). Vendas: Bilheteria do Centro Cultural Usiminas e site: www.ingressorapido.com.br

Uma brincadeira séria com o jogo do “bicho homem” cortando a própria carne para se tornar “gente”. A negação da identidade, dos desejos e instintos em prol da sociedade com suas fomes e cavernas. Da produção a prostituição do ser pelo bem maior ou pela própria sobrevivência. Da Carne ao Corte fala do ser possível, reinventado, adaptado ao meio e as possibilidades.

http://diariodoaco.com.br/noticia/102431-4/cultura/enaterci-movimenta-ipatinga