A percepção resulta da experiência = conhecimento construído através dos sentidos, do experimentar-se com os objetos.
– a experiência é processual, mas não é acumulativa, resulta do que se faz com o vivido e não apenas com o experimentado.
– Eperienciar diferente experimentar.
– A percepção resulta do espaço vivido no mundo.
– Da totalização do conhecimento fragmentado e incompleto.
-Experiencia é como uma bolha de sabão: transparente, mas frágil.

A percepção é:

Resultado do trabalho de recepção da realidade: o colher e o re-significar dos aspectos já recortados e confeccionados pela cultura.
– pode ser apenas recusa ou registro.
– pode ser aventura.

é mais que descrever.
mais que classificar.
O conhecimento exige um habitar as coisas do mundo.

O ver x o olhar:

– Atitude involuntária= imposição das coisas sobre o sujeito x ir além da visão, rumo a algo intencionado.

– Ver não exige vontade, espessurar ou profunidade, basta o colocar-se à disposição e o registro espontâneo da superficie visível x o olhar como resultado do que se investiga, das nossas perguntas; é visão feita interrogação.

– Entre o ver e o olhar, não há apenas diferença de intensidade, há uma ruptura, um salto.

– o conhecimento começa plea resitência à opnião, principalmente aquela endossada pelo poder.

– O conhecimento não é uma técnica, é uma conversão.

– O mundo é opcao para a consciência que se detém nas primeiras camadas do real. A opnião afasta a estranheza entre o sujeito e a realidade