Grupo Hibridus Dança, bodas de Rosa, Antimônio e a Rainha do Deserto
Nesta quarta-feira, 20 de novembro, o Grupo Hibridus Dança completou 17 anos de atividade, resistência e resiliência. É formado atualmente pelos artistas Luciano Botelho e Wenderson Godoi. O Grupo que tem o patrocínio da USIMINAS através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

O Grupo Hibridus Dança sempre pautou suas atividades no compartilhamento com a comunidade onde se insere. Suas ações colocaram o grupo e a cidade de Ipatinga no mapa da criação e circulação de dança contemporânea do país e do mundo.

Dentre estas ações se destaca o Encontro de Dança Contemporânea de Ipatinga (ENARTCi), com 13 edições e que, com o passar dos anos, deu origem ao ENARTCinho, com cinco edições e programação voltada para o público infantil e a família.


O Hibridus Dança estreou este ano o espetáculo “Coisa é tudo?”

Nesta linha, o grupo estreou este ano ‘Coisa é Tudo’, uma peça infantil que já circulou por São Paulo (SP), Ilhéus e Itacaré, na Bahia. E não é coincidência que o aniversário do grupo seja no Dia da Consciência Negra.

O grupo teve origem no Grupo de União e Consciência Negra de Ipatinga (Grucon), do qual os fundadores do Hibridus eram membros e compunham seus trabalhos, pautados nas causas da etnia afro-brasileira.

Rosa e Antimônio
Dezessete anos são bodas de rosa e antimônio. A beleza e a singeleza de uma flor junto à força e dureza de um metal.

Assim o grupo se vê, após 17 anos de caminhada, unindo beleza à força, num tempo em que a arte se vê perseguida e sob a mira da censura, mantendo-se firme, realizando suas ações com qualidade e fortalecendo sua rede.

No dia 26 de novembro, às 19h, haverá uma nova ação do edital de Ocupação do Espaço Hibridus Ponto de Cultura, com a exibição do terceiro e último filme do Cine Clube LGBT, ‘Priscila a Rainha do Deserto’, pelo GT Gênero e Diversidade.

Rainha do Deserto
Um dos maiores clássicos do cinema LGBTQ, o road movie “Priscila, A Rainha do Deserto”, foi lançado em 1994, dirigido e escrito por Stephan Elliott.

O enredo conta a história da transexual Bernadette (Terence Stamp), que embarca numa viagem para o interior da Austrália a convite das amigas drag queens Adam (Guy Pearce) e Anthony (Hugo Weaving), contratadas para levar seu show drag a um cassino.

O trajeto é feito a bordo do Priscilla, o ônibus que dá nome ao longa-metragem e que serve de palco para os embates, as discussões e diversões dos protagonistas.

SERVIÇO:
Exibição do filme “Priscila, A Rainha do Deserto”
Terça-feira (26) – 19h
Espaço Hibridus Ponto de Cultura
Avenida 28 de Abril, 621 sala 402, 4º andar – Centro – Ipatinga
Classificação: 14 anos.

https://www.diariodoaco.com.br/noticia/0073476-cultura-de-qualidade-a-toda-prova