O minicurso “A construção social e cultural da negritude no espaço Atlântico” visa promover um debate sobre temas relevantes para a sociedade brasileira, assim como para os indivíduos e comunidades afrodescendentes, em específico, interessados nas questões de identidade que perpassam a noção de negritude no Brasil e no mundo contemporâneo. O minicurso se organiza tendo por objetivo a reflexão sobre ideias e conceitos que qualificam nossa compreensão sobre as expressões culturais afro-americanas. Para isso, teremos por base algumas obras clássicas de autores como Paul Gilroy, W. E. Du Bois, Frantz Fanon, Livio Sansone, Sidney Mintz, Richard Price, Stuart Hall e Achille Mbembe. O objetivo é instrumentalizar os participantes para pensar questões referentes ao apelo da “identidade negra” e da noção de “cultura negra” na contemporaneidade, em escala transatlântica.
O minicurso visa promover conhecimentos históricos, antropológicos e sociológicos condizentes com a necessidade de formação de professores e demais interessados e envolvidos com ações afirmativas, educacionais ou culturais ligadas às populações negras, conforme previsto na Lei 10.639 que estabelece a obrigatoriedade do ensino de história africana e de história e cultura dos afro-americanos. Acreditamos que a implementação da Lei 10.639/2003 não cabe somente ao currículo da rede de ensino básico. Iniciativas da sociedade civil e dos governos que possam promover atividades que vinculem temáticas referentes a história e as expressões identitárias de africanos e afrodescendentes é significativo. Essas atividades podem ser seminários, entrevistas, cinema, teatro e muitas outras ações que integrem uma agenda cultural e educacional específica. Instituições públicas e privadas podem somar esforços na promoção de informações e debates voltados para a conscientização e superação dos mecanismos sociais de discriminação e desigualdade socioeconômica e de representatividade entre negros, brancos e pardos.